James Arthur – O Poder das Emoções

O Campo Pequeno abriu as suas portas, no domingo dia 19 de Janeiro, para receber James Arthur, que inicia em Portugal a tournée de apresentação do seu último trabalho discográfico “You”.

A abrir o concerto foi possível ouvir Jamie Grey com a sua música num estilo Soul e R&B e também Emily Burns com a sua voz doce e música Pop.

Apesar destas duas actuações terem agradado ao público, não foi por eles que o Campo Pequeno esgotou, mas sim por James Arthur, que foi muito aguardado por um público especialmente jovem e que esteve sempre muito animado.

Foi um concerto com uma energia fantástica entre todos os intervenientes e que começou com a entrada em palco dos músicos ao som de gritos de entusiasmo ensurdecedores e muitos telemóveis apontados para o palco. “You” foi o tema de abertura, e logo depois surge a primeira de muitas interacções com o público.

“I am” foi a música que se seguiu e depois desta, James disse como era bom voltar a fazer uma digressão, mas também em como tinha engordado no Natal, pois adora comer, e falou pela primeira vez em português, com um “obrigado” e um muito arranhado “são um público fantástico”.

Em “Sermon” pediu ao público para pôr os braços no ar. De seguida introduziu “Rewrite the stars”, falando no dueto com Anne Marie, e de repente chama a cantora a palco, naquela que se revelou uma partida, pois a artista não estava em Lisboa, mas deixou todos com um sorriso na cara por terem sido enganados pelo cantor.

“Breathe” antecedeu a “Falling like the stars”, onde o artista pediu para ligarem as lanternas dos telemóveis, e de repente fez-se dia na sala.

As músicas que se ouviram de seguida foram “Empty space” e “Home town”, esta última é um tema novo com uma sonoridade completamente diferente resultado de uma introspecção de James sobre o seu percurso na música.

James tenta perceber o que o público lhe vai dizendo em gritos e ouve-se então “I believe”.

Aos primeiros acordes de “Naked”, houve uma explosão de entusiamo, e no final um barulho tal como poucos artistas conseguem arrancar da plateia.

“Quite miss home” e “Recovery” fizeram subir ainda mais a temperatura da sala, que por esta altura escaldava, foi também aqui que finalmente respondeu aos constantes “I love you” que se ouviam por toda a sala com um caloroso “I love you too”, frase que derreteu os corações do público feminino.

“Treehouse” e “Can i be him” vieram confirmar o quanto os fans do cantor conhecem o seu trabalho uma vez que foram cantadas de uma ponta à outra.

Já se pressentia o fim do concerto, mas ainda se ouviu a nova “Maybe” e o tema que consagrou o cantor “Impossible”.

Saíram então de palco e o baralho que se ouviu foi ensurdecedor, a forma como o Campo Pequeno chamou James Arthur para o encore foi algo pouco visto nos nossos tempos, mais parecia que iam entrar os The Beatles, tal a histeria.

No encore foi possível ouvir “Sun comes up” e para terminar a tão conhecida “Say you won`t let go”.

Com a promessa de se voltarem todos a encontrar, artista e público despediram-se com carinho, e mesmo antes de sair de palco James fez um coração com as mãos para um público rendido ao artista. Esperamos voltar a vê-lo em breve!

Texto: Raquel Coelho