A MAESTRIA DE NICK CAVE NA ÚLTIMA NOITE DO MEO KALORAMA

 

No último dia do festival MEO Kalorama, Nick Cave & The Bad Seeds era a banda mais esperada, mas antes, e depois, houve muito bons concertos para ver e ouvir.

O palco principal abriu com Tiago Bettencourt, que fez questão de participar na 1ª edição deste festival. Em seguida, ainda em português, os Ornatos Violeta cantaram os seus êxitos como “Coisas”, “Dia Mau”, “Para de olhar para mim”, “Ouvi Dizer” ou “Capitão Romance”. Os fãs apreciaram mais um concerto da banda e mostraram o seu apoio e carinho enchendo o recinto e acompanhando as canções.

Nick Cave já não atuava há muitos anos em Lisboa e havia muita expetativa para o concerto, que foi uma experiência musical incrível. O músico australiano agarrou o público desde o início, conduzindo-o para onde queria. Sempre próximo do público, cantou quase sempre à frente da multidão, que estendia os braços para o tocar, foi falando entre canções e expressou a sua gratidão pelo público presente e por ser acompanhado de músicos excelentes, os The Bad Seeds e o trio de vozes gospell. O concerto abriu com “Get Ready for Love”, teve a canção “O Children” dedicada a uma fã aniversariante, Paula, passou pela dolorosa “Jubilee Street” e “Bright Horses” e teve um momento magnífico de Nick Cave ao piano com “I Need You”. Ainda houve tempo para dedicar “Tupelo” ao rei do rock n’roll, Elvis Presley e “Into My Arms” a Beatriz Lebre, uma jovem portuguesa morta em 2020, que gostava muito desta música. “Ghosteen Speaks” e “The Weeping Song” fecharam o encore de um espetáculo especial e único.

Os Disclousure fecharam o palco principal com um fabuloso espetáculo sonoro e visual e fizeram do recinto uma mega pista de dança, cheia de público e com a energia em alta.

Pelo palco Colina passaram os Moullinex, a controversa Peaches com um concerto irreverente e poderoso e Chet Faker, que fechou a noite.

Grand Pulsar abriu o palco Futura, seguido de Meute, a francesa de voz doce ZAZ que, para além de originais como “Les jours heureux” e “Ce que tu es dans ma vie” ainda cantou “La Vie en Rose” de Edith Piaf, “Oublie Loulou” de Charles Aznavour e “Paris sera toujours Paris” de Maurice Chevalier e fechou com a música de Club Makumba.

A 1ª edição do festival contou com cerca de 112 mil espetadores e já tem data marcada para o próximo ano, nos dias 31 de agosto, 1 e 2 de setembro.

Texto | SM