Rita Ora no 23º MEO SUDOESTE

De 06 a 10 de agosto, a Zambujeira do Mar volta a ser o centro do país, com tudo aquilo que se pode pedir a um Festival: a praia ali ao lado, uma semana inesquecível com a melhor música do momento. Depois das confirmações de, entre outros, Post Malone, Steve Aoki, Timmy Trumpet e Anitta, há mais uma superestrela a caminho do MEO Sudoeste: a britânica Rita Ora.

Quando pensamos em estrelas pop, em mulheres capazes de concentrar os olhares de todo o mundo sobre o seu próprio talento, pensamos num lote restrito de artistas e Rita Ora é uma delas. Com uma voz cheia de alma e uma energia contagiante, Rita tem deixado o público rendido vez após vez, seja através dos seus discos, seja através dos seus espetáculos. A cantora nasceu na cidade de Pristina, ex-Jugoslávia e atual Kosovo, mas mudou-se para Inglaterra com a família quando tinha apenas um ano de idade. Cresceu no bairro de Nothing Hill, nos arredores da Portobello Road, onde foi alimentando o sonho de vir a ser a artista que é hoje. Começou a cantar desde muito cedo e aperfeiçoou essas suas capacidades em pubs e, mais especificamente, em noites de microfone aberto. E as coisas (leia-se o sucesso) acabaram por acontecer muito rápido para esta jovem. As participações nos singles “Awkward”, de Craig David, e “Where’s Your Love”, de Tinchy Stryder, fizeram com que o nome Rita Ora chegasse cada vez mais longe. Mas a grande oportunidade da sua carreira chegaria dois anos mais tarde, quando Jay-Z se rendeu aos seus encantos e logo a convidou para assinar contrato com a Roc Nation, a editora do rapper norte-americano. Depois disto, o sucesso à escala global estava mesmo ali ao virar da esquina, primeiro com a participação vocal em “Hot Right Now”, um single de DJ Fresh, e depois com o primeiro single a solo, “R.I.P.”, o primeiro avanço para o seu disco de estreia. Em pouco tempo, esta canção já dominava os tops de vendas no Reino Unido. O disco, “Ora”, foi editado em 20012. Além de “R.I.P.” este disco tinha outras pérolas, como “How We Do (Party)” ou “Shine Ya Light”, o que lhe valeu várias nomeações para os MTV Europe Music Awards desse ano – e tudo isto com apenas 18 anos de idade… É fácil prever que os anos seguintes tenham sido ainda mais agitados para a senhora Ora, conquistando papéis enquanto atriz, tanto no cinema como na televisão (o filme “50 Sombras de Grey” é um exemplo), revelando um forte lado empreendedor, com a criação de vários projetos na área da moda. Apesar destas conquistas, a música nunca poderia ficar de lado para Rita, como provam os singles “Black Widow”, com Iggy Azalea, “Poison”, “Your Song” ou “For You”, um dueto com Liam Payne. Seis anos depois, estava na altura de editar um novo disco, e foi mesmo isso que aconteceu em 2018. “Phoenix”, editado pela Atlantic Records, conta com vários produtores de luxo – Alesso, Avicii, Benny Blanco ou Cashmere Cat. E “Girls” (com Cardi B, Bebe Rexha and Charli XCX), “Only Want You” (com 6lack) ou “Anywhere” são singles que prometem deixar ao rubro o público presente na próxima edição do MEO Sudoeste.

Por razões de agenda, o concerto de 6lack inicialmente previsto para o dia 7 de agosto, foi reagendado para o dia 8 de agosto, no Palco MEO.

MEO Sudoeste, junta-te à Tribo!
Mais novidades a anunciar brevemente.

Já confirmados:

 07 de agosto
Palco MEO – Anitta, Steve Aoki, Years and Years

08 de agosto
Palco MEO – Post Malone, 6lack, Jimmy P

09 de agosto
Palco MEO – Russ, Vitor Kley

10 de agosto
Palco MEO – Timmy Trumpet, Rita Ora, Carolina Deslandes