Poderia parecer “Improvável” mas aconteceu

Aconteceu dia 30 de Maio, pelas 22H00, no Salão Preto e Prata do Casino Estoril, o concerto de José Gonçalez, com os seus amigos.

Foi uma noite de memórias, de histórias vividas, de sentimentos antigos, e até de amizades recentes.

E foi com o “Fado Bailado”, que Júlio Resende, pianista, e Ângelo Freire, que toca a Guitarra Portuguesa, iniciaram o “Improvável” espetáculo. A música termina e José vai até à plateia beijar sua mãe. “Eu tenho tanta pena Pai”, foi o tema seguinte.

E o que se seguiu foi uma panóplia de músicos que em dueto com Gonçalez apresentaram “in loco” o CD.

“A Luz do teu Sorriso” com José Cid, “Trago Alentejo Na Voz” com José Geadas, “Trigueirinha” com Silvino Sardo, “Uma Viagem pelo Fado” com António Pinto Basto, “Caminho” com Gonçalo Salgueiro, “Cantar é Celebrar a Poesia” com FF, “Meu Amigo” com Jorge Fernando, “A Vizinha da Frente” com Miguel Ramos, “Biografia do Fado” com Rodrigo, “Por Magia ou por encanto” com Maria da Fé, “Alentejo um Ar de Festa” com Vitorino, “Culpas para as desculpas” com Filipa Cardoso, “Uma Ponta de Ilusão” com Fábia Rebordão, “Entre Vinho Tinto e Gin” com Sangre Ibérico.

Para espanto e surpresa de Toi e de Nuno da Câmara Pereira, José também fez questão de os pôr a cantar.

Entre canções houve sempre lugar a um agradecimento, e claro quem brilhou também, foram os músicos, Edu Miranda no bandolim, Miguel Ramos na viola de fado, Francisco Gaspar no baixo, Máximo Ciuro no baixo, David Jerónimo na bateria, Rafa Zamorano na bateria e Dinho Zamorano no cavaquinho.

Para terminar José Gonçalez anuncia Ana Moura para embaixadora do projecto solidário a favor do combate ao Cancro Infantil, que ele criou, e encerra os duetos com a “Maldição”.

Não foi uma noite fado, mas uma noite cantada por muita gente do fado.

Texto: Raquel Ataíde
Fotos: Jorge Torres Carmona

Flickr Album Gallery Pro Powered By: wpfrank