Chico Buarque Anuncia Data Extra em Lisboa

Devido è elevada procura, o artista acaba de anunciar uma data extra para o dia 3 de junho no Campo Pequeno, com a cantora convidada Mônica Salmaso. Últimos bilhetes disponíveis para o dia 1 de junho e dia 2 de junho já se encontra esgotado no Campo Pequeno em Lisboa.

‘Que tal um samba?’ é também o nome do single do artista lançado em junho que foi recebido como uma lufada de esperança “depois de tanta derrota, depois de tanta demência e uma dor filha da puta”. O tom esperançoso da canção dialoga com clássicos de Chico Buarque, como ‘Vai passar’ e ‘Apesar de você’, que também nasceram dos sambas.

A crítica aclamou com entusiasmo a nova canção: “‘Que tal um samba?’ é música contra o Brasil da derrota”, “Chico Buarque voltou a encher o país de cultura e esperança”, “trata-se de um samba com categoria, um samba legal”, “Chico nos convida, afirmando que já chega o tempo da desforra, que já é possível erguer a vista e a coluna”.

O novo espetáculo promove um passeio pela obra de décadas do Chico Buarque, que reúne composições há muito não apresentadas e outras mais recentes. Os saltos temporais acontecem de maneira fluida, como se as canções tivessem sido escritas agora.

Os músicos que acompanham o cantor são fiéis companheiros de palco: o maestro Luiz Claudio Ramos (arranjos, guitarra e violão), João Rebouças (piano), Bia Paes Leme (teclados e vocais), Chico Batera (percussão), Jorge Helder (baixo acústico e elétrico), Marcelo Bernardes (sopros) e Jurim Moreira (bateria).

Mônica Salmaso já dedicou um disco à obra de Chico Buarque, ‘Noites de gala, samba na rua’. Mônica estreou-se visitando os afro-sambas de Baden e Vinícius, fez songbooks de Paulo Cesar Pinheiro, Guinga e Dori Caymmi, gravou discos aclamados como ‘Voadeira’ e ‘Iaiá’ e mergulhou no Brasil profundo no disco ‘Caipira’. Com 13 discos lançados e três DVDs, cultiva um repertório fiel à música que nela habita.

Chico Buarque, um dos maiores compositores e uma das mais impressionantes vozes brasileiras de todos os tempos estará em Portugal em quatro noites cheias de cor e samba.

Chico Buarque