NININHO VAZ MAIA PELA PRIMEIRA VEZ NOS COLISEUS EM MAIO DE 2022

 

 

DEPOIS ESGOTAR OS DOIS CONCERTOS DE ESTREIA EM BEJA E ALMEIRIM O ARTISTA LEVA “RAÍZES”  A DUAS DAS MAIS EMBLEMÁTICAS SALAS NACIONAIS

 

Depois de se estrear ao vivo com dois concertos esgotados, realizados em pontos estratégicos do País, Arena de Almeirim e Parque de Feiras e Exposições de Beja, Nininho Vaz Maia ruma agora aos Coliseus, duas das mais emblemáticas salas nacionais, para apresentar o seu disco de estreia “Raízes”. O Coliseu de Lisboa recebe o músico dia 21 de maio e o Coliseu Porto AGEAS dia 28 do mesmo mês.

O fenómeno Nininho Vaz Maia, o artista que une o Flamenco, o pop e a tradição cigana num estilo único, conquistou inesperadamente os fãs em 2019 com os seus temas originais no YouTube, somando à data de hoje mais de 54 milhões de visualizações orgânicas no seu canal oficial. A receção do público ao disco e ao género musical único que apresenta tem sido estrondosa e prova disso foram os dois concertos de estreia esgotados e a conquista do disco de ouro, com o trabalho que marca a sua estreia nas edições.

“Raízes” é o álbum de debute de Nininho Vaz Maia e conta com 11 faixas numa verdadeira homenagem às suas raízes, a comunidade cigana. As canções viajam por esse mesmo universo, garantindo um estilo musical único, feito com emoção, sem receio do erro e com um objetivo muito claro: transmitir sentimentos reais. O Flamenco e o pop unem-se em estúdio e ao longo do disco a guitarra de Gilberto Maia (Popinho) e a voz absolutamente contagiante de Nininho convidam a uma viagem ora dançável, ora contemplativa.

Nininho Vaz Maia tem como objetivo elevar a cultura cigana e representá-la com orgulho. O flamenco, um estilo musical durante séculos perseguido pelos conflitos de vários povos, é hoje um género respeitado graças a nomes como Paco de Lucia, Camarón de La Isla, Niña Pastori e até jovens artistas como Rosalía, que têm vindo a combater o preconceito e a mostrar o verdadeiro valor do flamenco. Em “Soy Gitano”, uma das canções apresentadas ao público ainda na primeira fase da sua carreira, o artista deixa bem claro na letra o forte orgulho pelas suas origens.

Um verdadeiro caso de sucesso que finalmente dá palco em território luso ao género musical declarado em novembro de 2010 Património Cultural Imaterial da Humanidade pela Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura.

 

21 de maio 2022— Coliseu de Lisboa

Início do Espetáculo: 22H00

 

28 de maio 2022— Coliseu do Porto

Início do Espetáculo: 22H00