AGIR revela hoje ‘Mesa Para Dois’, o primeiro single do seu novo álbum de originais

 

Fortes são as razões que levam muitos a sair de casa mas mais forte ainda tem que ser o motivo para voltar. Raízes são raízes, tomem elas o rumo que tomarem. Por mais que a semente seja nossa, o fruto é dele e só dele.  

Entre um som mais acústico e um filme em película, a palavra e o analógico sentam-se à mesa, uma mesa para dois.

AGIR

Já se encontra disponível em todas as plataformas Mesa Para Dois”, o primeiro single do 4º álbum de originais de AGIR, com nome e data de lançamento a revelar em breve.

A nova obra de AGIR nasce de um conceito, diferente de todos os anteriores, em que a música e a melodia eram a base da composição: agora é da palavra que medra a música. Também a sonoridade difere de tudo o que este músico, cantor, compositor e produtor de apenas 33 anos já fez: habituámo-nos ao ritmo das suas canções e agora somos convidados à reflexão, à escuta atenta dos detalhes próprios da acústica de instrumentos como o contrabaixo, a guitarra, a bateria, por vezes o piano e até um acordeão. Há cordas e sopros, arranjos delicados e uma abordagem espartana da captação e edição: quase todas as músicas resultam da gravação de um único take, sem disfarces, nem truques, com a assunção das pequenas falhas, que são verdadeiras e humanas. A contenção sente-se também no video de Mesa Para Dois”: gravado em película resulta num trabalho mais orgânico, cru, que respeita o espírito do disco.

Recorde-se que AGIR tem partilhado com o público, através dos mais diversos meios, como as plataformas digitais ou a televisão, os vários projectos especiais em que tem trabalhado, das jam sessions Eulália, em que homenageia, com uma toada jazz, artistas portugueses icónicos, ao tema especial PRESCREVER, uma reflexão sobre as desigualdades sociais que pervertem a essência da Justiça. Os poetas e autores de intervenção que fizeram Abril mereceram-lhe, este ano, uma atenção redobrada: primeiro através da participação especial no Festival da Canção, em que cantou dois dos maiores clássicos de todos os tempos da música portuguesa, Flor Sem Tempo” e E Depois do Adeus” numa homenagem ao pai, Paulo de Carvalho; depois, com o concerto Cantando Abril, transmitido na RTP 1 por altura da comemoração dos 47 anos do 25 de Abril; e, por fim, o espectáculo especial O Cantinho do Zeca, também transmitido na RTP 1, em que Carolina Deslandes, Lura, Marisa Liz, Tatanka, Joana Alegre, Cláudia Pascoal, Irma e Sara Correia se juntaram a AGIR para recriar o legado maior de Zeca Afonso, dando-lhe novas vozes, mas mantendo a essência de cada canção intemporal.

AGIR é um dos mais reputados artistas da sua geração, sendo presença constante nas playlists das rádios com os seus temas a solo e diversas colaborações com alguns dos maiores nomes da música nacional como Ana Moura, Carolina Deslandes, Diogo Piçarra, Karetus, Papillon ou 9 MILLER. No seu percurso contam-se várias conquistas, entre as quais três Coliseus esgotados, o prémio Best Portuguese Act” nos MTV EMA 2015, o Globo de Ouro de Melhor Intérprete Individual” ou  o galardão de disco de Platina pelo álbum Leva-me A Sério”.


Ficha técnica Mesa Para Dois

  • sica e Letra: Agir
  • Guitarra: Marco Reis
  • Bateria: Alexandre Frazão
  • Contrabaixo: Rodrigo Correia
  • Piano: Agir


Cordas

Violinos:

  • Ana Pereira
  • Romeu Madeira
  • José Pereira
  • Xavier Pereira

Violas:

  • Joana Cipriano
  • Pedro Meireles

Violoncelos:

  • Tatiana Leonor
  • Tiago Mirra

Sopros

  • Trombones Tenor e Baixo: Ruben da Luz
  • Tuba: Gil Gonçalves
  • Trompa de Harmonia: Ricardo Alves
  • Pratos de Orquestra: Sertório Calado
  • Arranjos de cordas e sopros: Valter Rolo, Lino Guerreiro e Agir
  • Captação Pratos de Orquestra: Sassá Nascimento
  • Captação, Mistura e Masterização: André Tavares