Cristina Branco editou “EVA” no Passado Dia 20 de Março

“Eva” está oficialmente disponível em todas as plataformas digitais. O mais recente trabalho de Cristina Branco conta com co-produção da própria artista em conjunto com os seus músicos Bernardo Moreira (contrabaixo), Bernardo Couto (guitarra portuguesa) e Luis Figueiredo (piano). Um alter-ego, um diário, Loulé e Copenhaga estão na génese de “Eva”, a primeira edição de autor de Cristina Branco em quase duas décadas de carreira.

“O novo álbum de Cristina Branco, “Eva”, é protagonizado pelo seu alter ego, Eva Haussman, uma fotógrafa que fuma com boquilhas que pertenceram a cantoras negras americanas”
João Lisboa, Revista E, Expresso

“Novo capítulo no percurso de um nome fundamental da música popular portuguesa deste século”
Pedro Dias de Almeida, Visão

“Que disco é este, onde há coros que parecem insurreição popular — “a vida é uma prova de esforço“, exclama-se a várias vozes logo na segunda canção —, piano ora baladeiro ora borbulhante, contrabaixo cheio de pinta, guitarra portuguesa como ainda não a ouvíramos”
Gonçalo Correia, Observador

O trabalho iniciado num repertório desenhado em conjunto com os seus autores, conta com nomes como André Henriques, Churky, Filho da Mãe, Filipe Sambado, Francisca Cortesão, Kalaf Epalanga, Luis José Martins, Pedro da Silva Martins, Márcia, Sara Tavares e ainda um texto original da própria Cristina Branco. A componente visual muito importante no novo trabalho tem a assinatura total de Joana Linda, que tem trabalhado com Cristina Branco nos últimos discos da cantora.

O novo disco de Cristina Branco, Eva, resulta de uma rutura na sua vida pessoal. Foi para Copenhaga e repensou a sua vida. Foi assim que nasceu esta personagem, uma espécie de alter ego, uma mulher completamente livre, a que a cantora queria ser.
Maria João Caetano, Diário de Notícias

«…Se há essa carga rock em “Prova de Esforço”, uma portugalidade elegante que é também marca sua em Mau Feitio” ou ecos de Fausto e José Afonso em “A Doutora“, encontramos também resquícios de África na suavidade de “Maria“, pozinhos de musette dos Paris Combo ou dos Três Tristes Tigres de “Partes Sensiveis” no pecaminoso “Inferno do céu” ou discreto espectro electrónico que se põe à espreita em “Conta-me dos vivos” e ajuda a carregar na tensão constante…»
Gonçalo Frota, Ípsilon Público  

“Como é que uma voz com tanta leveza tem tanto peso interpretativo? Ela solta-a num fino sopro, encaracolando-a nas melodias, elevando a lírica. Numa filigrana de melancolia, molda as fragilidades, para melhor as exceder. Cultiva o amor próprio, para crescer da dor e ser maior. Lava os olhos em lágrimas e saboreia o seu sal. Com a resiliência de quem escolhe respeitar em vez de se afundar na tristeza, Cristina Branco encontra a arte no meio de cacos, transformando em beleza o frágil sentido da vida.”
Ana Patrícia Silva Time Out Porto 

 

Alinhamento EVA

  • 01.Delicadeza
  • 02.Prova de Esforço
  • 03.Quando eu Quiser
  • 04.Mau Feitio
  • 05.Contas de Multiplicar
  • 06.Conta-me dos Vivos
  • 07.Maria
  • 08.A Doutora
  • 09.Inferno do Céu
  • 10.Leva