Margarida Guerreiro Apresenta Novo Disco “Cortar a Direito

“Cortar a Direito”

surge do encontro com o músico Bruno Chaveiro e da necessidade de partilhar emoções há muito guardadas.

Margarida desafiou o jovem instrumentista que em boa hora, aceitou.

Este disco significa o início de um novo percurso, um caminho diferente de todos os que Margarida Guerreiro percorreu anteriormente.

Margarida Guerreiro fez uma cuidada seleção dos poetas e respetivos poemas, Tiago Torres da Silva (Cortar a Direito), Vasco Graça Moura (Fado do Desespero), António Botto (Quanto, Quanto me queres), Vasco Lima Couto (Na paz do teu amor), Jorge Fernando (A ilha) ou António Manuel Moraes (Hino à Cantadeira) são exemplos do que procurava. Segundo ela estes poemas ganharam um brilho extraordinário com as composições de Bruno Chaveiro, Custódio Castelo, Prof. José Fontes Rocha e Alfredo Marceneiro.

Margarida destaca o tema “Porque me olhas assim” de Fausto Bordalo Dias, e considera-o uma das músicas da sua vida.

Com “Dio come ti Amo”, de Domenico Modugno, encontrou uma forma simbólica de homenagear Itália, o país que tão bem a acolheu.

O primeiro single escolhido “Cortar a direito”, dá nome ao disco e a intensão é clara, a artista quer que este disco signifique um corte a direito rumo ao futuro sem, no entanto, renegar o passado.

Diz Margarida “Todos os temas deste disco fazem parte de mim, da minha história, do meu crescimento enquanto cantora e mulher. Tive a sorte de encontrar um produtor que soube chegar até mim, perceber o que eu pretendia e fazer um disco que reflete tudo aquilo que sou pessoal e profissionalmente. Foi um privilégio poder desenvolver este trabalho com aquele que considero ser o meu melhor amigo”.