Camané e Mário Laginha a 06 de Julho – 22H00 na 1ª Edição Festival Jardins do Marquês – Oeiras Valley

O ano de 2020 vai ficar marcado pela chegada de um novo Festival que promete acrescentar classe e sofisticação a mais uma estação quente. Nos primeiros dias de julho, o Jardins do Marquês – Oeiras Valley leva-nos até aos Jardins do Palácio do Marquês de Pombal em Oeiras para uma experiência sofisticada, desenhada para despertar todos os sentidos, e focada na qualidade de cada uma das propostas musicais. Depois das confirmações de Cat Stevens e de Lighthouse Family, a próxima confirmação traz talento nacional a Oeiras: Camané e Mário Laginha apresentam o seu “Aqui Está-se Sossegado” no dia 6 de julho, nos Jardins do Marquês.

Camané e Mário Laginha dispensam apresentações. De universos musicais bem distintos, encontraram-se no disco “Aqui Está-se Sossegado”, um dos melhores discos editados em 2019. Mas a história deste casamento entre o fado e o piano é bem mais antiga. É caso para dizer que, no início, era a voz e o piano; no início do fado, quando a canção de Lisboa era convidada para os salões da aristocracia, o acompanhamento era feito ao piano e não à guitarra. Muito depois, Camané encontrou-se com os pianos de Bernardo Sassetti e Mário Laginha. Juntos fizeram o espetáculo “Vadios”, com Carlos Bica, e deixaram água na boca para futuras colaborações. Os anos foram passando, Camané e Mário Laginha foram-se reencontrando, nomeadamente no inédito “Ai Margarida”, composto por Mário sobre um poema de Álvaro de Campos, até que o fadista lançou o desafio ao pianista. Escolheram reportório. Fizeram os concertos. E, rodada a ideia, rodado o reportório, gravou-se o disco: “Aqui Está-se Sossegado”. Camané canta, com a voz que lhe conhecemos, com a entrega e a elegância que lhe reconhecemos; Mário toca, com o talento que lhe conhecemos, com a versatilidade e o virtuosismo que lhe reconhecemos. O resultado é espantoso, como provam temas como “Com Que Voz”, “Não Venhas Tarde” ou “Abandono”, clássicos que ganham aqui uma nova vida. Estamos diante de um piano que serve uma voz e de uma voz que serve um piano – e juntos servem as palavras de alguns dos maiores poetas portugueses, clássicos e contemporâneos, e as melodias de fado tradicional ou de outros compositores inspirados. Intuindo de modo quase mágico quando avançar e quando recuar, o local certo para colocar as notas, o tempo certo para envolver a voz, Camané e Mário propõem um momento inesquecível também ao vivo. O desenho dos concertos de “Aqui está-se sossegado” contará com cerca de duas dezenas de temas, saídos do cânone fadista, do repertório de Camané e do génio de Mário Laginha. E está visto que este projeto é a cara do Festival Jardins do Marquês – Oeiras Valley, um sítio onde também se pode estar sossegado. O encontro com estes dois talentos maiores da música portuguesa fica marcado para o dia 6 julho, nos Jardins do Palácio do Marquês de Pombal em Oeiras.

Já confirmados:

  • 01 de julho | Lighthouse Family
  • 04 de julho | Yusuf / Cat Stevens
  • 06 de julho | Camané e Mário Laginha
  • 07 de julho | Rufus Wainwright