The Black Mamba – A Festa Merecida

O Coliseu dos Recreios de Lisboa recebeu este sábado, dia 05 de Outubro, o segundo concerto nesta sala da banda Portuguesa The Black Mamba.

O concerto que serviu de apresentação ao terceiro álbum de originais “The Mamba King”, teve uma entrada poderosa, com um vídeo penetrante. Foi então que Tatanka entrou em palco com um casaco de peles e tocou “Stand up” e “I want my money back”.

Depois da primeira abordagem ao público, referiu que contava ter uma noite marcante, como aliás aconteceu na última vez que pisaram este palco.

Ao longo de todo o concerto Tatanka foi puxando pelo público, sempre a pedir que os acompanhassem, tanto nas palmas ritmadas das músicas como a cantar os refrães.

Viu-se também uma interacção fantástica entre toda a banda, havendo ao longo do espectáculo uma energia contagiante entre todos.

Mas o público não ficou de fora nesta partilha, os presentes estavam visivelmente entusiasmados, dançando nos lugares e até mesmo saindo dos mesmos, para aproveitarem a noite e o groove que se sentia por toda a parte.

Foram tocados temas dos três trabalhos da banda, tanto do novo álbum como de “Dirty little bothers” e do homónimo “The black mamba”.

O tema “It ain`t you” começou com um magnífico solo de guitarra, que muito agradou a todos e depois desta magnifica performance ouviu-se “Grey eyes”.

Antes do tema “Believe”, Pedro pediu para as pessoas se desligarem mais das redes sociais e tomarem conta de quem amam, abraçando e beijando alguns dos elementos da sua banda.

Depois deste momento tocaram o primeiro single deste novo disco “Stonger” e outros temas como “My blood Diamond” e “Soul people”.

Avisou então de que iria tocar uma balada das antigas e sentado cantou “Red dress” e logo depois “Winter ghost”.

Inesperadamente do meio da plateia surgiu Silk, dos Cais do Sodré Funk Connection, enquanto Tatanka tocava guitarra este cantava. No tema seguinte entrou em palco outro amigo da banda, Virgul que ajudou também a animar a noite. Depois deste dois artistas, e quando já não se esperava mais nenhum convidado, Boss AC, entrou e encantou o Coliseu.

Antes do encore, e já sem nenhum dos convidados em palco, foi possível ouvir “Wonder why”.

O encore foi uma verdadeira delícia para todos, tanto aqueles que estavam em palco, como os que assistiam, e prolongou-se até ao máximo, com a banda a puxar pelo público e vice-versa. “Still i am alive” não podia faltar e nesta altura já ninguém estava sentado nas suas cadeiras.

Uma noite que foi como esperado, mágica!

Texto: Raquel Coelho