Montepio Fado em Cascais – Marta Pereira da Costa, Quando a Guitarra Canta

O terceiro e último dia do Montepio Fado em Cascais, teve lugar no Auditório Fernando Lopes Graça, no Parque Palmela, no dia 22 de Setembro.

Este abriu com Yami Aloelela, que com a simpatia que o caracteriza e com um sorriso nos lábios, apresentou algumas das suas músicas e um pouco do seu novo trabalho “Casa”.

 De seguida entrou em palco Marta Pereira da Costa, que de imediato tocou os temas “Terra” e “Movimento”. Para os mais distraídos, Marta não canta e diz mesmo que a guitarra portuguesa é a sua voz, e que harmoniosa é a sua voz!

Apesar do frio, e do problema que é para quem toca guitarra a sensibilidade dos dedos com o mesmo, a guitarrista, que assume que não toca só fado e que também brinca com outros estilos musicais, presenteou a plateia com músicas ritmadas e que alegraram a noite, como “Encontros” e “Vira de Frielas”.

Foi a vez de entrar em palco o primeiro convidado da noite, Tiago Bettencourt, que como confidenciou Marta, têm uma amizade que remonta os tempos de criança, em que saltavam o muro de suas casas para entre outras coisas tocarem juntos.

E nesta noite tocaram “Aí se os meus olhos falassem” e de seguida dois temas de Tiago “Partimos a pedra” e “Morena”.

Ficou novamente com os seus músicos e em conjunto tocaram a primeira composição de Marta, “Minha alma”, que foi o tema que a fez acreditar que seria possível seguir atrás do sonho e deixar de ser uma folha em branco.

Será lançado o segundo álbum da artista, mas Marta já se arrisca a mostrar algumas das suas novas composições, como “Memórias”, uma homenagem à sua avó materna e “Dias de feira”.

De novo tivemos a presença de mais um convidado, desta vez Mayra Andrade, e juntas interpretaram os temas “Afecto” e “Terra da saudade” de Mayra, e “Alfama”.

A esta dupla quente, juntou-se a presença masculina de Tiago Bettencourt que cantou um tema em crioulo de Mayra e acabou por dançar com a Cabo Verdiana, num momento que aqueceu a noite a todos.

Já novamente com a sua banda, Marta ainda tocou “Alfonsina y el mar” e “Além Terra”.

Foi um concerto cheio de novos desafios, tanto para Marta como para os seus convidados, mas que encantou todos os presentes.

Texto: Raquel Coelho
Fotos: Jorge Torres Carmona

Flickr Album Gallery Pro Powered By: wpfrank