O Encanto Dos IL Divo e a Timeless Tour

No passado dia 14 de Julho os Il Divo apresentaram a sua Timeless Tour na Altice Arena para festejarem os seus 15 anos de carreira.

O concerto abriu com um clip de vídeo a preto e branco dos quatro cantores, que fazem de personagens de filme noir baseados nos clips do seu novo álbum Timeless, acompanhado da orquestra sinfónica e entraram em palco com “Hola” a versão em espanhol de Hello de Adele, que faz parte do novo álbum e que também dá nome à tour. Seguiu-se “Regressa a Mí” (Unbreak My Heart de Toni Braxton) e no final, sob uma chuva de aplausos, David Miller agradece ao público português pelo carinho e que ficam sempre muito felizes quando veem no calendário que Lisboa está incluída nas tours. Sébastien Izambard aproveita para referir que a música que acabaram de cantar foi o 1º êxito da banda a nível mundial e que somos o melhor público da Europa. Carlos Marín aproveita para se dirigir ao público feminino presente, fazendo o seu papel de sedutor inveterado, e pergunta quantas mulheres bonitas se encontram ali e que com a idade (o barítono fez 50 anos) tornou-se vintage, salientando ainda que é o único da banda que está solteiro, para gáudio das mulheres que mostram o seu contentamento de forma bastante ruidosa.

“Pour Que Tu M’emes Encore”, “Melanconia” em italiano (Wicked Game de Chris Isaak), “Caruso”, “Besame Mucho” e “Quién Será” deram continuidade ao concerto. No fim Carlos fala da discografia dos Il Divo e revela que Amor&Pasion é o seu álbum preferido, porque está em espanhol e tem muitos ritmos latinos, com homenagem ao bolero, tango, rumba e que a próxima música será um tango de Carlos Gardel de que gosta muito “Por una Cabeza”, a que se segue “Un Regalo Que Te Dio La Vida” (Have You Ever Really Loved a Woman de Bryan Adams).

O quarteto senta-se, brincado que já não têm 20 anos e que Carlos têm os pés inchados, e Urs Bühler revela que o segredo que os mantém juntos há 15 anos é o amor pela música e por partilhá-la com o público. Diz que gostam do desafio de escolher as músicas para cada concerto e que cada vez é mais difícil, à medida que o repertório aumenta. Revela, ainda, que a música seguinte é uma das que mais gostam de tocar nos concertos “Hallelujah”. Segue-se “Isabel” e “All of Me” (de John Legend) que Sébastien diz ser uma das mais maravilhosas canções de amor já escritas. Depois revela que, para festejar os 15 anos de carreira, decidiram fazer algo diferente e selecionam uma mulher do público a quem dedicam a canção “Unforgettable” (de Nat King Cole). A eleita, uma jovem colombiana, deleitou-se com a atuação dos músicos, que para além de cantarem também dançaram com ela e David aproveitou para gravar todo o momento no smartphone da jovem.

Seguiram-se “Que Bonito És Vivír” (What a Wonderful Worl de Louis Armstrong) e “Toi E Moi” (The Way We Were) com imagens dos 15 anos dos Il Divo a passarem na tela do palco. Em “La Vida Sin Amor” Carlos aproveita para chamar o público feminino para a frente de palco e agradece a todos os que acompanham os Il Divo. Depois fala da próxima música “Hasta Mi Final”, pertencente ao álbum Ancora e que nunca tinha sido tocada ao vivo até à tour Timeless. “My Way – A Mi Manera” de Claude François fecha o concerto, que o público aplaudiu do princípio ao fim, e em especial quando os Il Divo apareceram com a bandeira portuguesa em palco. Para o encore ficaram “Amazing Grace” e “Time To Say Goodbye” (Con Te Partiró de Andrea Bocelli) e uma ovação de pé do público que fica sempre encantado com os concertos dos Il Divo.

Texto: SM
Fotos: FaceBook IL Divo