Noites de Encantar com André Rieu!

20 anos depois André Rieu regressou a Portugal, regressou e maravilhou.

Mais do que um espetáculo de música é um espetáculo de encantar e temos o privilégio de assistir em Lisboa na Altice Arena de 13 a 16 e de 29 a 31 de março e em novembro nos dias 20 e 21. São portanto 9 dias de valsas, sorrisos, surpresas e casa cheia.

Pouco se pode dizer porque as palavras ficarão sempre aquém dos momentos que se vivem durante cerca de três horas. Com a Altice esgotada no primeiro dia, o ambiente foi de gente com sorrisos na cara, muita alegria na alma e união mundial, porque é isso que a música faz, une, mas André também. André tem um discurso leve, divertido mas sempre com a intenção de união através da música e das suas palavras. Conta histórias, vivencias.

André Rieu trás consigo uma equipa vasta de gente e começamos pela orquestra, Johann Strauss, composta por 60 elementos, o que faz dela a maior orquestra particular do mundo e que o acompanha há 32 anos, comunicou. Trás um coro com 8 vozes femininas, apresenta 3 tenores e 3 sopranos e como se não bastasse chamou também à frente de palco um tocador de carrilhão, um acordeonista e um flautista de flauta de Pan, entre outros músicos que descobriu durante as suas digressões.

Para delicia da nossa audição revelamos “Volaré” que o publico acompanhou e “you raise me up” cantado por um soprano.

Com tradutor simultâneo, Joana Cruz, jornalista e locutora portuguesa desempenhou muito bem a função.

Com um ancore que durou e durou, o público não arredou pé e o violinista não vacilou em satisfazer o pedido de “mais uma” em catadupa.

Noites destas fazem-nos sonhar e que pelo menos uma vez temos que assistir, mas partilhamos uma frase que muitos já disseram e que Rieu também disse – “Não haverá fronteiras na música!”

É assim na música, que assim seja em tudo!

Texto: Raquel Ataíde
Fotos: Jorge Torres Carmona

Flickr Album Gallery Pro Powered By: wpfrank