17ª Grande Gala do Fado – Carlos Zel

O Casino do Estoril abriu uma vez mais as portas do Salão Preto e Prata para receber mais uma Grande Gala do Fado. Tal como acontecia antes da morte de Carlos Zel, em que todas as quartas feiras subiam a palco as noites de fado, esta quarta feira dia 23 de Janeiro foi a vez de grandes nomes do fado se juntarem para lhe prestar uma justa homenagem.

A noite prometia, com a entrada do Casino transformada para acolher a recepção de inúmeras personalidades das mais amplas áreas, num convidativo welcome drink. De seguida entrou-se no Salão Preto e Prata onde foi servido um jantar saboroso, com sabores equilibrados.

Foi depois do final do jantar que um trapezista espantou o público com manobras de panos ao som de um fado de Carlos Zel. Ricardo Carriço entrou em cena de seguida e iniciou a narrativa, tendo sido ele o fio condutor desta noite de encantar.

A primeira convidada da noite foi Gisela João, que com o seu jeito espontâneo interpretou os temas “ Maldição”. “O Sr. Extraterrestre” e “Meu amigo está longe”, este último dedicado ao seu avô.

Ricardo Ribeiro foi o Sr. que se seguiu, e encantou com as músicas “ Destino marcado” “Meu amor não vale a pena” e “Fado de Alfama”.

Cuca Roseta era um dos nomes que estaria presente, mas devido a constrangimentos pessoais foi substituída de forma sublime por Fábia Rebordão, que nos trouxe “Pergunta a quem quiseres”, “Foi Deus” e “Limão”.

Com solidez, Hélder Moutinho brindou-nos com “ Fado bailado”, “Eu nasci na Mouraria” e a “Vida vivida”.

A Alentejana Ana Sofia Varela subiu ao palco para cantar “Nossa Senhora do fado”, “Aqui” e “Ó meu amor não te atrases”.

Rão Kyao, com a sua flauta de bambu criou um ambiente quente, e foi possível escutar “Fado bailado”, “Deus também gosta de fado” e “O meu amor”.

Interpretando “Tristeza velha”, “Rosa vermelha” e “Amor de mel, amor de fel” Katia Guerreiro deslumbrou com a sua voz e simpatia.

O último convidado da noite foi Jorge Fernandes que terminou com “ Valsa dos amantes”, “Quem vai ao fado” e um medley de “Pode ser saudade” com “Chuva”.

A acompanhar todos estes belíssimos artistas estavam também uns virtuosos músicos, José Manuel Neto na guitarra Portuguesa, Carlos Manuel Proença na viola de fado e Daniel Pinto no baixo.

No final passou um pequeno vídeo de Carlos Zel e toda a sala se sentiu cheia com a noite incrível que passou!

Texto: Raquel Coelho
Fotos: Jorge Torres Carmona

Flickr Album Gallery Pro Powered By: wpfrank